segunda-feira, 2 de março de 2009

Fauna dá vida às paisagens irreais de Fernando de Noronha

Tartarugas, carismáticos golfinhos, peixes e dezenas de espécies de aves já valem uma visita ao arquipélago pernambucano Fernando de Noronha é um paraíso de águas transparentes. Isso é fato. Mas o arquipélago pernambucano oferece muito mais que lindas paisagens e praias. Tamanha exuberância natural é recheada de animais que, por si só, valem uma visita à ilha.

Com uma visibilidade que atinge quase 50 metros, os mergulhos com equipamentos continuam sendo uma das melhores formas de contato com a fauna da região. Além desta modalidade, outra forma de contato com os animais marinhos é um banho nas piscinas naturais.

Quando a maré baixa é só colocar um óculos de mergulho que fica fácil ver diversos peixes, esponjas, algas, moluscos e corais. O Montastrea cavernosa, uma espécie de coral, é o mais abundante no arquipélago e visto por todos os lados.

Quem não vai se aventurar nas águas profundas de Noronha pode facilmente ver - até mesmo em pé, fora d'água - peixes como a donzela de rocas, o sargentinho, a coroca e algumas moréias.

Nos mergulhos profundos o show de cores fica ainda mais impressionante. São frades, budiões, ariquitas, piraúnas e borboletas. No fundo do mar, junto à areia, cações, lambarus e arraias são vistos facilmente.

Os céus de Noronha também merecem atenção. São mais de 40 espécies de aves registradas no arquipélago, entre viuvinhas, mumbebo branco-grande, catraia, bico vermelho e muitos outros pássaros. A cucuruta e o sebito são espécies que só existem no arquipélago.

Preservação levada a sério

Vários projetos se desenvolveram em Fernando de Noronha com o intuito de preservar a fauna local.

O Projeto Golfinho Rotador tem como objetivo conscientizar visitantes e ilhéus e proteger a carismática espécie. Os animais atingem até 2 metros de comprimento e são tricolores: cinza-escuro no dorso, cinza-claro nos flancos e branco no ventre.

O melhor local para observar os golfinhos é o mirante da Baía dos Golfinhos, quando o sol nasce.

O Tamar também trabalha no arquipélago. A praia do Leão e do Sancho são dois importantes locais desova das tartarugas marinhas chamadas de aruanãs.

Durante os mergulhos é possível observar ainda a tartaruga-de-pente que vai até o arquipélago para se alimentar. Outra espécie que tem programas de proteção e estudo é o tubarão.

Engano Muita gente vai até Fernando de Noronha e volta feliz com fotos de lagartos e roedores como se fossem da ilha. Mas os visitantes mal sabem que o teiú, ou teju, e o mocó, um roedor que costuma viver nas pedras, foram trazidos para o arquipélago pelo homem.

Fonte: Grupo Viagem

Nenhum comentário: